Zé Urbano

Loading...

sábado, 22 de março de 2014

Todos nós, 
cada qual com seu tantinho de culpas, 
formamos esse mosaico imenso de indiferenças.

domingo, 9 de março de 2014

Olha só,
o jardim floriu!!
A dor desistiu 
de se plantar!!
O tempo corre,
escorre pelas mãos.
O tempo morre,
também morre a ilusão.
O tempo sofre,
também sofre o coração.
Que um tempo nobre
me traga a solução.
Para que o tempo sobre,
também sobre a emoção
de quem descobre
o valor da solidão.
Que o tempo se importe
e me queira dar a mão.
Que o tempo volte
e me traga uma paixão....
Cotovelo

Só de vê-lo faiscam meus olhos
que bela curva ornamental
que erguem teus dedos
quando me acenas um tchau!


Que cantinho escondido
quase fora do teu corpo
meio de lado, esquecido
meio bicudo, meio redondo.


Pra que serve o cotovelo
além de bater na quina
e arrepiar teu pelo?


Ser do braço, a esquina?
Ou ser o furor da língua,
com vontade de lambê-lo!!