Zé Urbano

Loading...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

HOMEM, DIGO; TOLO!

NÃO É QUE VIESTE BEM LOUCA,
ME ATROPELANDO, MEIO SEM NOÇÃO!
BEIJASTE LOGO MINHA BOCA
E EU MENDIGO, CHAPÉU NA MÃO.

E ESSE BEIJO QUE ME DESTE
MEIO ASSIM DE SOPETÃO
QUEBROU AO MEIO O ALICERCE
QUE SUSTENTAVA O MEU CORAÇÃO.

ESSE CORAÇÃO MENDIGO
TAPADINHO COM JORNAL
ESPERANDO UMA ESMOLA
DOS PASSANTES...NO ARREBOL.

POBRE CORAÇÃO PARTIDO
QUE SONHOU DE ANTEMÃO
COM ESSE BEIJO SAÍDO
DO FUNDO DA TUA EMOÇÃO.

2 comentários:

Silvana Bronze disse...

Coração mendigo?!! heheheheheheh...
Fernando, tu és a minha inspiração.
Que coisa mais linda. Olha...de todos os poemas que li, esse é o que mais gostei. Se tu me permitir, gostaria de salva-lo no meu computador.

Rafael disse...

Meu caro, vim aqui por intermédio de nossa amiga em comum, A Silvana, que me teceu maravilhas sobre a tua poesia, e então que não foi uma surpresa que tudo que ela me disse era verdade, na verdade, penso que ela até me encurtou a história, visto que o conteúdo real da tua poesia é muito melhor, ainda mais do que ela havia me dito. Adorei cada uma das linhas que lí aqui, uma poesia forte e ao mesmo tempo usual, contemporânea e desmedida.

Um grande Abraço!